fbpx

Follow us on social

stablecoin.

Conselho de Estabilidade Financeira do G20 faz recomendações às nações sobre a regulamentação de stablecoins

Nesta terça-feira (14), o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) do G20 anunciou dez recomendações para regulamentar stablecoins nos países. O órgão monitora e faz recomendações sobre o sistema financeiro global.

O G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, é composto pelos seguintes países: Brasil, Argentina, China, Austrália, Canadá, França, Índia, Alemanha, Japão, Indonésia, Itália, México, Rússia, Coréia do Sul, África do Sul, Arábia Saudita, Turquia, Reino Unido, União Europeia e Estados Unidos.

O órgão alertou que a estabilidade financeira dos países pode ser prejudicada caso os governos mundiais não estabeleçam uma legislação necessária acerca deste tipo de ativo. 

Separador de texto - Bitcoin.

Segundo as recomendações publicadas, o relatório de 67 páginas busca promover uma regulamentação consistente e eficaz acerca das stablecoins globais.

O FSB destacou que pretende introduzir regulamentações proporcionais aos riscos apresentados pelas stablecoins globais, levando em consideração como elas podem mudar ao longo do tempo.

As recomendações do órgão aplicam o princípio de “mesmos negócios – mesmos riscos – mesmas regras”, seja qual for a tecnologia subjacente das stablecoins.

“As recomendações visam diminuir os potenciais riscos com o uso de GSCs [stablecoins globais] como meio de pagamento e/ou reserva de valor, tanto no nível doméstico quanto internacional, apoiando uma inovação responsável e fornecendo flexibilidade suficiente para que as jurisdições implementem abordagens domésticas”, destacou o relatório.

Separador de texto - stablecoin.

As recomendações do FSB propõem uma cooperação transfronteiriça, evitando que uma stablecoin jogue uma jurisdição contra a outra. Dessa maneira, os emissores de stablecoins não poderão escolher uma jurisdição mais favorecida. Eles deverão gerenciar os riscos, ser resilientes operacionalmente e ter salvaguarda contra ataques cibernéticos, além de adotar sistemas para impedir a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, informou o relatório.

Segundo o órgão do G20, “as autoridades relevantes devem, quando necessário, esclarecer os poderes regulatórios e abordar possíveis lacunas em suas estruturas domésticas para lidar adequadamente com os riscos apresentados pelas stablecoins globais.”

Essas recomendações devem ser aplicadas às stablecoins existentes e também às futuras moedas digitais que poderão ser criadas. De acordo com um estudo do Banco de Compensações Internacionais (BIS), 80% dos bancos centrais mundiais já estão trabalhando no lançamento de moedas digitais dos bancos centrais (CBDCs).

 

 

Cadastre seu e-mail para receber notícias e novidades em primeira mão.

Gostou desse artigo? Seja o primeiro a ver outros conteúdos como esse.

About The Author

Somos a vanguarda da informação sobre Bitcoin e altcoins no Brasil. Desde 2013, fazemos iniciantes entenderem o que é criptomoeda e como funciona a blockchain e ajudamos especialistas a tomar decisões de investimento por meio de conteúdo original e notícias relevantes sobre as diferentes moedas digitais. Para isso, tornamos o conhecimento acessível em artigos, tutoriais, vídeos, podcasts e newsletters. Neles, informamos diariamente o valor do Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, Litecoin ou outros ativos, acompanhamos a movimentação do mercado de Bitcoin e seus efeitos sobre outras criptomoedas, avaliamos exchanges, moedas e outros projetos, trazemos especialistas para explicar conceitos e acontecimentos, e ensinamos desde operações básicas, como comprar Bitcoin, até mais complexas, como montar uma máquina de mineração. Se você quer ser o primeiro a saber disso tudo, acompanhe nossas redes sociais.

Post a Comment

You don't have permission to register